Continuando a nossa análise sobre as pessoas que se autodeclararam umbandistas no censo de 2010, vamos analisar mais detalhadamente as informações referentes aos grupos de idades e ao sexo delas.

FONTE: IBGE, Censo 2010, Tabela 2103.

Dividindo essa população nas categorias de jovens (de 0 a 19 anos), adultos jovens (de 20 a 39 anos), adultos (de 40 a 59 anos), idosos (de 60 a 79 anos) e muito idosos (80 anos ou mais), observa-se que ela é formada por 25,13% de jovens, 36,94% de adultos jovens, 27,78% de adultos, 9,23% de idosos e 0,93% de muito idosos.

Embora pela análise a proporção de jovens seja quase a mesma de adultos, o resultado esconde um detalhe que só aparece nas entrelinhas: o IBGE contabiliza que os jovens com menos de 15 anos (0 a 14 anos), tem a mesma religião da mãe, e acrescenta esse dado ao resultado. Assim sendo, embora ainda não tenham maturidade suficiente para escolher a sua religião, eles são contabilizados como sendo umbandistas. Existe, é claro, uma elevada probabilidade que esses jovens se tornem umbandistas quando adultos, mas isso é algo que só poderá ser confirmado no censo de 2030, quando eles terão entre 20 e 45 anos.

É interessante notar, também, que existe uma probabilidade da população de umbandistas continuar aumentando na próxima década, por aumento de natalidade, uma vez que a maior parte de umbandistas se encontra na faixa etária de adultos jovens, ou seja, na faixa de idade em que a maior parte das famílias brasileiras tem filhos. Essa probabilidade é reforçada pelo fato de 20,04% de todas as pessoas que se autodeclararam umbandistas serem mulheres adultas jovens: e como o próprio IBGE já percebeu, a religião das mães exerce forte influência na religião dos filhos(as).

Se as mulheres adultas jovens não mudarem de religião na próxima década, espera-se um aumento expressivo de umbandistas no Amazonas, em Alagoas, em Tocantins e no Amapá, uma vez que nesses Estados o percentual de mulheres adultas jovens supera os 25% da população que se autodeclararam umbandistas.

Apesar do exposto acima, existe a possibilidade de que os umbandistas possam vir a desaparecer de alguns Estados, em virtude do elevado percentual de idosos e muito idosos no número de pessoas que se autodeclararam umbandistas nessas UF. Essa situação é particularmente grave no Estado de Roraima, onde 39,05% das pessoas que se autodeclararam umbandistas tinham 60 anos ou mais de idade, em 2010.

Das 08 UF com o maior número absoluto de pessoas que se autodeclararam umbandistas (92,2% do total), o Rio de Janeiro seria aquela onde a Umbanda conservaria suas raízes mais antigas, uma vez que 15,79% das pessoas que se autodeclararam umbandistas nesse Estado são idosas ou muito idosas. Isso, por outro lado, poderá significar uma estabilização, ou mesmo redução, no número de umbandistas daquele Estado, na próxima década, já que aquele percentual é bem próximo ao percentual de jovens que se autodeclararam ou foram considerados como sendo umbandistas naquela UF (18,56%).

Ainda considerando as 08 UF com o maior número absoluto de pessoas que se autodeclararam umbandistas, Santa Catarina seria o Estado com a possibilidade de continuar apresentando um expressivo aumento no número de umbandistas na próxima década, uma vez que  43,82% das pessoas que se autodeclararam umbandistas nesse Estado são adultos jovens, percentual que sobe para 69,84% se incluirmos os jovens que se autodeclararam ou foram considerados como sendo umbandistas.

Olhando a nível de país, a Umbanda continua sendo uma religião de maioria feminina (55,29% do total), embora o desequilíbrio entre os homens e mulheres não seja tão expressivo. Esse desequilíbrio é mínimo em Pernambuco, onde as mulheres correspondem a 50,2% do total de pessoas que se autodeclararam umbandistas. No extremo oposto estão o Amazonas, onde as mulheres correspondem a 67,8% do total de pessoas que se autodeclararam umbandistas, e o Rio Grande do Norte, onde as mulheres correspondem a 31,92% do total de pessoas que se autodeclararam umbandistas. Embora na maior parte dos Estados brasileiros o percentual de mulheres que se autodeclararam umbandistas seja maior do que o de homens que se autodeclararam umbandistas, o percentual deles é maior que o delas nos seguintes Estados: Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Rondônia, Amapá, Tocantins e Acre.

Anúncios