Amigos leitores, sabe quando você diz algo que ninguém entende e alguém pede para desenhar? Pois bem. Depois da atualização da postagem “As Umbandas dentro da Umbanda” alguns amigos gaiatos perguntaram se dava para desenhar aquela postagem, porque as informações ali descritas eram muitas. Atendendo ao pedido deles, segue aqui abaixo a versão gráfica (bem simplificada) daquela postagem (o conteúdo da postagem você pode ler aqui).

Para facilitar o entendimento, agrupei as vertentes que identifiquei até agora de acordo com características que as assemelhem e usei um sistema de cores para identificar esses agrupamentos. Usei como nomenclatura para identificá-los as antigas denominações usadas para diferenciar os tipos de Umbanda, que são:

  • Umbanda Branca – agrupa as Umbanda que seguem uma doutrina mais próxima do espiritismo-catolicismo, utilizando inclusive os livros da doutrina espírita como fonte doutrinária, onde os médiuns se vestem apenas de branco e onde não há uso de atabaque, não há gira para Exus, Pombagiras, Malandros e quaisquer entidades quimbandeiras e não há uso de sacrifícios rituais;
  • Umbanda Branca Esotérica – caso particular das Umbandas Brancas, pois além de possuírem as características acima, também fazem uso de práticas consideradas de cunho esotérico-ocultista (cristais, numerologia, mantras, meditação, etc);
  • Umbanda Cruzada – contração da antiga expressão Umbanda cruzada com Quimbanda, agrupa as Umbandas onde, além das giras para as entidades da Umbanda, também ocorre gira para as entidades que originalmente faziam parte apenas da Quimbanda (Exus, Pombagiras, Malandros e outras entidades quimbandeiras), caso nos quais os médiuns eram autorizados a usar roupas escuras (especialmente a preta) para incorporar essas entidades e era normal fecharem o Gongá com uma cortina durante o trabalho deles, sendo possível encontrar nessas Umbandas a prática do sacrifício de animais para oferendar as entidades quimbandeiras;
  • Umbanda Traçada – um caso particular da Umbanda Cruzada, seu nome é uma contração da antiga expressão Umbanda Cruzada Traçada com Candomblé, pois agrupa as Umbandas Cruzadas que possuem doutrinas, ritos e práticas originários das tradições africanas, principalmente aquelas oriundas dos diversos Candomblés, sendo possível encontrar, dentro delas, a prática do sacrifício ritual para os Orixás.
  • Umbanda Esotérica – um caso particular da Umbanda Cruzada, seu nome é uma contração da antiga expressão Umbanda Cruzada Esotérica, pois agrupa as Umbandas Cruzadas que também fazem uso de práticas consideradas de cunho esotérico-ocultista (cristais, numerologia, mantras, meditação, etc).

A posição das vertentes no gráfico não possui nenhuma relação com questões de hierarquia superior ou inferior entre elas: foi apenas para facilitar a visualização das informações ali contidas.

"Esta imagem pertence ao Blog Registros de Umbanda"

Anúncios